O caso dos doze comprimidos

Aconteceu comigo. Minto, ainda acontece e faço questão de contar.  Infelizmente sabemos que tirando as curas milagrosas de Jesus, ainda não existe um meio eficaz de curar uma doença sem utilizar algum tipo de remédio, qualquer um, mesmo que seja um placebo! O pior é que dependendo da gravidade de seu estado, mais medicação seráContinuar lendo “O caso dos doze comprimidos”

Conversa de escritor. Ou será de torcedor?

Pois é, meus amigos, acabei de perceber que é praticamente impossível escrever um artigo, crônica, conto, post para o blog, o que quer que seja, ouvindo pelo rádio uma transmissão de um jogo de futebol com o meu Botafogo. O problema é que a cada ataque do time adversário, as ideias fecham os olhos eContinuar lendo “Conversa de escritor. Ou será de torcedor?”

Pirralhos

Você sabe o que é pirralho? Palavra de origem obscura, no Brasil e em Portugal significa “criança”, “jovem”, indivíduo de pequena estatura” e em sentido pejorativo “criança ou jovem atrevido ou com pretensões de adulto”. Considerada um brasileirismo, só aparece nos textos brasileiros dos séculos XVIII e XIX, e em Portugal nas regiões da Beira,Continuar lendo “Pirralhos”

Metrô

A plataforma de embarque do Metrô na estação Copacabana como sempre cheia, muito cheia. Final de dia, queria o quê? Pelo menos os trens não estão atrasados. Logo uma luz surge na escuridão do túnel, anunciando sua próxima chegada. Vagões cheios, a multidão na plataforma se desloca para as suas portas e a lei daContinuar lendo “Metrô”

Saúde!

  Esse ‘causo’ aconteceu no longínquo e perdido ano de 2015, lá na ex-cidade maravilhosa. Caminhada no final da tarde na praia, na direção do Posto Seis. Domingo, uma multidão saindo da areia na direção das estações do Metrô e pontos de ônibus e uma outra chegando para tomar um vento e ver as modas,Continuar lendo “Saúde!”

Alegria, alegria

“Caminhando contra o vento, sem lenço e documento. No sol de quase dezembro, eu vou.” Pois é, a canção de Caetano Veloso, que tanto me entusiamou nos anos 60, não só pelos versos quase jornalísticos como pelo som distorcido do grupo de rock paulista The Beat Boys, colocando guitarras na então chamada MPB, veio imediatamenteContinuar lendo “Alegria, alegria”

Onde estão as máquinas de escrever?

Vocês se lembram das máquinas de escrever? O anúncio aí ao lado vende uma Remington portátil, “perfeita para utilização em fazendas” no interior, no longínquo ano de 1927 do século passado. E, pelo jeito, era uma baita novidade, o notebook da época! Curiosa e sinceramente, não sinto nenhuma saudade delas, talvez por ter trabalhado unsContinuar lendo “Onde estão as máquinas de escrever?”