Golpe de mão

  Falam de golpe. Conspiram. Traçam planos. Ameaçam. Procuram o inimigo até entre os amigos. Juram lutar até a morte. Falam de golpe. Preparam-se para a guerra, apresentam suas baionetas. “No passará”, gritam em uníssono, triunfantes. Pior, arrogantes. Falam de golpe. Palavras vãs, bravatas perdidas ao léu. Sequer meias verdades são. Lembro dos versos doContinuar lendo “Golpe de mão”

Ruínas

Fiquei em dúvida sobre qual a imagem mais apropriada para ilustrar esse comentário. As do desastre ambiental de Mariana seriam a escolha óbvia mas, em respeito às vítimas e enojado com a “passividade” quase criminosa de autoridades e empresas envolvidas, escolhi uma foto do meu arquivo pessoal, mostrando que atrás de prédios -ou instituições eContinuar lendo “Ruínas”

Futuro?

Um imenso deserto, árido, tomado pelo lixo. Num barraco, onde tremula uma bandeira do Brasil, em frangalhos, duas figuras miseráveis aparentam uma normalidade absolutamente resignada e sem qualquer esperança. Pudera, o nosso país, finalmente, virou um imenso lixão. A foto do lixão da Estrutural, em Brasília, distante apenas 15 quilometros do Palácio do Planalto, deContinuar lendo “Futuro?”

Obsceno poder

Dias difíceis para os brasileiros. Corrupção, inflação, descrédito, desgoverno, desesperança. O mais preocupante, entretanto, é não ver luz alguma no fim do túnel, assistir um espetáculo de horrores, a prisão em série de políticos, empresários e funcionários públicos com as mãos (bolsos?) cheios de bilhões de reais, dinheiro público, o nosso dinheiro. Ter a desagradávelContinuar lendo “Obsceno poder”

Ouvi por aí, em pleno feriadão…

  Viva a independência e a separação do Brasil. Pelo meu sangue, pela minha honra, pelo meu Deus, juro promover a liberdade do Brasil. Independência ou Morte! (Dom Pedro I, em 7 de setembro de 1822). O Brasil não é para principiantes (Tom Jobim). No Brasil o otimista dorme com medo de acordar pessimista (MillôrContinuar lendo “Ouvi por aí, em pleno feriadão…”