A guerra do Rio

A guerra entre facções criminosas nas favelas do Chapadão e da Pedreira, na zona norte do Rio, além da óbvia demonstração da insegurança beirando o caos que tomou conta da cidade do Rio reforça a sensação de idéia de jumento a possibilidade da construção de um autódromo na antiga e histórica área de exercícios deContinuar lendo “A guerra do Rio”

Redes aéreas

Não é por nada não, mas postes atulhados de fios deixam a cidade com um aspecto lamentável… Tudo bem, aterrar isso tudo é uma obra cara, sem dúvida e a concessionária de energia se defende afirmando que 1) a bagunça é feita pela turma da banda larga e 2) a legislação federal permite. Sei lá…Continuar lendo “Redes aéreas”

Fala mais alto!

Você está ouvindo pouco? Seu sono é agitado? Anda irritado com as pessoas, o cachorro e a patroa? Não quer saber de sexo? As palavras que você mais usa são “fala mais alto”, “heim?” e “não entendi nada, repete”? Está se sentido deprimido, cansado, com dores de cabeça, zumbido nos ouvidos. sem apetite? Nem tudoContinuar lendo “Fala mais alto!”

O descaso

Rua Professora Leonina Ferreira, Braunes, uma das duas vias de acesso para o Sans Souci. As fotos foram feitas hoje, domingo, dia 26 de maio, por volta do meio-dia. A via não tem calçadas, o mato cresce livremente, a iluminação é precária e de brinde levamos vazamento de esgoto, fios elétricos espalhados pelo chão eContinuar lendo “O descaso”

A tempestade atípica

Mais uma tempestade provoca o caos no Rio, deixando desta vez um saldo macabro de dez mortes. Nem sei se tenho alguma coisa a mais para comentar depois de assistir aqui de Nova Friburgo um filme muito antigo: desde sempre chuvas caem forte na cidade no início do ano e, infelizmente, também desde sempre osContinuar lendo “A tempestade atípica”

Lixo em Lumiar

Confesso que fiquei arrepiado quando soube o motivo da revolta dos moradores de Lumiar, bucólico e simpático distrito de Nova Friburgo: a implantação de um lixão! Como assim? Querem matar o que ainda resta de turismo em nossa cidade? Nem foi preciso chegar, o jornal local A Voz da Serra reproduziu declarações de diretores daContinuar lendo “Lixo em Lumiar”

Falando (outra vez) de calçadas

Aconteceu no verão de 2015, lá no Rio de Janeiro. Tomei um baita tombo no calçadão da Avenida Vieira Souto, numa caminhada acelerada com destino ao Leblon. A culpada não fugiu, ficou quietinha aguardando outro incauto no local do acidente: uma pedra portuguesa solta que, ao sair do lugar quando pisei, me jogou de frenteContinuar lendo “Falando (outra vez) de calçadas”

Onze de Janeiro

No dia onze de janeiro de 2011, a bela e acolhedora Capela de Santo Antônio, na Praça do Suspiro, amanheceu assim, bem como grande parte da cidade de Nova Friburgo. A tragédia que, oficialmente levou 918 pessoas, deixou mais de 30 mil desabrigados e uma centena de desaparecidos nas cidades da nossa Região Serrana, precisaContinuar lendo “Onze de Janeiro”

O Chalet vive!

Quase um mês sem dar as caras (por culpa do frio) nos jardins do Country para minhas caminhadas, levo um baita susto quando vejo que as obras de reforma do histórico Chalet do Parque São Clemente foram retomadas! Viva! O velho imóvel, hoje com mais de 150 anos de idade, ponto principal de um dosContinuar lendo “O Chalet vive!”

As pessoas e sua cidade

“Brasília é um bom exemplo. Estava na universidade e era a época da descoberta do planejamento urbano modernista. E o mais famoso exemplo era Brasília. Em Cities for people, aliás, chamei essa forma de projetar de síndrome de Brasília: quando os urbanistas planejam e organizam edifícios na cidade como se fossem vistos pela janela doContinuar lendo “As pessoas e sua cidade”