Ruínas

Fiquei em dúvida sobre qual a imagem mais apropriada para ilustrar esse comentário. As do desastre ambiental de Mariana seriam a escolha óbvia mas, em respeito às vítimas e enojado com a “passividade” quase criminosa de autoridades e empresas envolvidas, escolhi uma foto do meu arquivo pessoal, mostrando que atrás de prédios -ou instituições e pessoas – podem se esconder enormes ruinas (no caso, o prédio do antigo Cassino da Urca, aqui no Rio).

Em seu contundente artigo “O terremoto de todos os dias“, publicado no jornal El País, o jornalista e escritor Juan Árias, comentando a prisão de um senador da república (com minúsculas mesmo) e um “poderoso” banqueiro, deixa para nossa reflexão o seguinte:

“O Brasil está vivendo, de fato, um momento crítico e grave, difícil de definir e de contar dentro e fora do país. É uma mistura de terremoto político, cujo epicentro se encontra nos próprios fundamentos da República, e de esquizofrenia que impede a sociedade de entender se está vivendo na realidade ou no imaginário.

Um país que festejava há apenas dois ou três anos uma ascensão econômica e social inédita, inveja até de países desenvolvidos, que chegou a sonhar em sentar-se à mesa dos que dirigem os destinos do mundo, vive hoje uma espécie de miragem.

É como se, de repente, tivesse acordado de um sonho para tocar com a mão que a realidade crua e nua é muito diferente. O Brasil está gravemente doente politicamente.

E como no simbolismo da esquizofrenia, a sociedade se pergunta se a classe política vive na realidade, ou se se perdeu no marasmo de suas próprias alucinações e ilegalidades.”

Fico aqui cismado, tentando lembrar quantas crises políticas, morais e econômicas já devastaram o Brasil, acabando com os nossos sonhos de um futuro próspero. Desta vez a justiça está fazendo sua parte, colocando os canalhas na cadeia e provocando a indignação geral.

Meu maior medo, entretanto, é que o dano ao país e à nossa auto-estima tenha sido irreparável. Tomara que não.

Foto: Carlos Emerson Junior

 

Publicado por Carlos Emerson Jr.

Sou carioca, escritor, cronista e fotógrafo. Moro em Nova Friburgo. Transformar em letras um fato banal do quotidiano é fascinante, talvez por juntar um pouco de jornalismo, literatura e muita imaginação. Acredito que é por aí que nascem as crônicas nossas de cada dia. Ou não?

Um comentário em “Ruínas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: